A importância da higiene bucal do seu pet.

 

Com qual frequência você escova os dentes de seu pet?

 

Cuidar da higiene bucal do seu pet, desde o nascimento dele, é uma das principais medidas de prevenção para problemas mais graves no futuro.

 

Assim como na nossa boca, as bactérias presentes na dos cães e gatos podem se multiplicar e se organizar em uma espécie de biofilme, caso não sejam removidas.

 

Logo, podem causar doenças bucais e dentárias graves como o cálculo dentário, popularmente conhecido como tártaro. Ele é uma capa amarela que mancha os dentes dos animais

 

 

  • Dica HPMV: Uma das melhores formas de prevenir doenças é escovando os dentinhos do seu amigo diariamente ou 3 vezes por semana no mínimo. 

 

 

A saúde bucal do seu pet, é um assunto muito importante, embora a maior parte dos tutores não saberem disso. Neste artigo, você irá se familiarizar com os cuidados e tratamentos da área de odontologia veterinária.

 

Higiene bucal cachorro e gato.

 

Assim como nos humanos, os pets possuem dois tipos de dentição:

 

  • Dentes Decíduos, também conhecidos como dentes de leite e
  • Dentes Permanente.

 

Por volta do terceiro ao sexto mês, os pets passam pela troca da dentição e durante esse período podem exibir alguns comportamentos diferentes se tornando ,aos seletivos para certos alimentos e até mesmo não se alimentarem.

 

Em raças de pequeno porte pode não ocorrer completamente essas troca de dentes. Essa condição pode favorecer o acúmulo de restos alimentícios, em consequência pode aparecer placa bacteriana e tártaro.

 

Essa dentição dupla também interfere na mordida, cabendo ao Médico Veterinário especialista em odontologia do HPMV, examinar a cavidade bucal para realizar a extração dos dentes desses dentes.

 

Como escovar os dentes de cachorros?

Para escovar os dentes do seu amigo, utilize uma escova apropriada. Nunca utilize pasta dental de humanos, pois ela contém abrasivos e outras substâncias que podem causar irritações.

 

O famoso dedal, não é indicado para a escovação permanente. Ele serve para acostumar o pet nas primeiras escovações, pois suas cerdas não atingem onde é necessário para retirar o biofilme.

 

Com as utensilios em mão, comece a passá-los por todos os dentes do seu cão.

 

Nunca pressione as cerdas da escova contra a gengiva. Não é necessário utilizar força e nem escovar rápido, se não pode acabar machucando.

 

O importante é ir aos poucos ir acostumando o pet, fazendo de conta que é uma brincadeira. Desse modo, ele vai associar o momento como algo divertido.

 

Não é necessário enxaguar, pois a pasta dental canina é feita para não causar problemas de ingestão.

Como saber escolher a escova e pasta de dentes ideal?

 

Como você sabe existem diversas escovas de dentes específicas, tanto para cães, quanto para gatos.

 

É possível comprar as com cerdas anatômicas que possuem o cabo mais longo, parecidas com a dos humanos.

 

Em todo caso, é interessante conversar com o veterinário do HPMV, assim ele poderá instruir qual a melhor opção de uso.

 

E a pasta de dentes?

 

Como já foi dito, em hipótese alguma pode ser utilizado em pets, a pasta dental de humanos. Pois elas são ricos em flúor e sabões. Quando ingerido pelos animais, podem causar problemas de saúde.

 

Portanto, somente use a que for ideal para o tipo de pet.

 

Odontologia Veterinária.

 

Nos ramos da medicina veterinária, a odontologia talvez seja um dos menos procurados pelos tutores.

 

Mesmo aqueles que buscam por uma boa qualidade de vida para o pet, dando a  alimentação correta e fazendo-o a praticar exercícios regularmente, geralmente se esquecem da saúde bucal, ignorando os problemas que o descuido pode causar.

 

O que é Odontologia Veterinária e por que ela é importante?

É o ramo que cuida da saúde bucal, detectando problemas mais simples ou outras doenças que afetam não só o dente do pet, mas começam pela boca.

 

Pode ser subdividida em áreas, como:

 

  • Periodontia: Destinada a evitar e tratar problemas dos dentes e gengivas;
  • Ortodontia: Busca corrigir anormalidade de alinhamento dos dentes;
  • Endodontia: Atua na raiz dos dentes, mais conhecida como tratamento de canal.

 

Praticamente todos os procedimentos odontológicos disponíveis para humanos também existem para os pets, inclusive aparelhos.

Benefícios de levar o seu pet ao dentista:

 

Além de prevenir diversos problemas, não espere que seu amigo apresente complicações bucais para levá-lo à uma avaliação de dentista veterinário. As consultas devem ser feitas com regularidade.

 

Listamos mais alguns benefícios:

 

O tutor aprenderá a escovar os dentes do pet corretamente.

 

Há muitos cuidados a serem realizados no momento da escovação. Na consulta com o dentista veterinário, você receberá orientações sobre o modo mais correto de escovar os dentes e também de como treinar seu pet para que ele se acostume com a prática.

 

É um momento muito íntimo com o seu animal, em que é possível identificar se ele precisa de tratamentos especializados.

 

Prevenção da doença periodontal que afeta 90% dos cães e gatos.

 

A doença, é provocada pela placa bacteriana (tártaro),  sua primeira característica é a inflamação gengival e com o avanço acaba ocorrendo a destruição do ligamento periodontal e a lise, que é a destruição óssea. Quando o animal começa a perder os dentes significa que a doença já está em estado avançado.

O animal não costuma a parar de realizar as atividades do dia a dia como comer e brincar, portanto é difícil perceber  quando isso acontece.

 

A saúde começa pela boca.

 

Quando a boca não está saudável, pode ocorrer infecções em outros órgãos, porém o mais comum é que a inflamação crônica leve mediadores inflamatórios para a corrente sanguínea e consequentemente para outras partes do corpo. Essa inflamação crônica por ser silenciosa é perigosa e prejudicial aos animais ao longo dos anos.

  • Coração;
  • Pulmões;
  • Rins.

 

Mau Hálito do Pet.

 

Muitos tutores acreditam que o cheiro forte é da natureza do pet e acabam não dando tanta atenção para esse problema.

 

Contudo, o mau hálito pode ser um indício de que a saúde dele não vai bem.

 

Em muitos casos ele surge devido a falta de higienização bucal

 

Chega de bafo.

 

A halitose é provocada pelas bactérias que estão sob a gengiva do cão, produzindo gases que tem um odor ruim.

 

As visitas frequentes ao veterinário juntamente com a escovação dos dentes, ajudando a reduzir o número de bactérias.

 

O que causa o mau hálito?

 

Antes de saber como realizar o tratamento, é importante entender qual é a sua causa.

 

A razão mais comum para o aparecimento do mau hálito, é a falta de escovação. Isso porque durante o dia os cães acumulam alguns resíduos na boca.

 

Quando esses restos permanecem mais tempo do que deviam, começam a formar uma placa, que por sua vez causa o mau cheiro.

 

Além disso, o tártaro, as infecções da boca e as inflamações na gengiva (gengivites) também podem ser as causas.

 

Como acabar com o cheiro ruim da boca do cachorro ou gato?

 

Além de entender os motivos, é importante saber como acabar com isso. Portanto seguem algumas dicas práticas e eficazes.

 

    • Higienização: A escovação tem que ser diária, pois ajuda a retirar qualquer resíduo presente nos dentes, como também contribui para que a formação das substâncias da placa dentária não consiga se desenvolver;
    • Veterinário: Quando o cão já está com acúmulo de tártaro, apenas as escovações não serão suficientes. É necessário realizar sua retirada através de um simples procedimento cirúrgico.
    • Boa alimentação: As rações secas são as melhores opções, seus grãos retiram consideravelmente o acúmulo de tártaro e placas bacterianas. Para saber a ração ideal para o seu pet, consulte um veterinário.

 

  • Petiscos e brinquedos especiais: Há petiscos e brinquedos feitos para limpar os dentes de seu pet, ajudando a fortalecer as gengivas.
  • Enxaguante bucal: Os enxaguantes também são ótimos para manter a boca do seu amigo sempre cheirosa, ficando assim longe de bactérias.

 

 

O que é tártaro em cachorros?

 

O tártaro em cães nada mais é do que uma placa de bactérias que surge pelo acúmulo de restos de comida nos dentes do cão, quando não é retirada corretamente.

 

Ele atinge a maioria dos cães, porém tem como ser evitado, diminuindo assim o desconforto.

 

Caso não seja tratado a tempo, pode causar alguns problemas, como meningite e outras infecções generalizadas, isto porque com o avanço dessa placa bacteriana pode haver o contato com algum vaso sanguíneo, o que espalha a área de alcance da bactéria, levando a outras doenças.

 

Como e por que ele se forma?

 

Sua formação acontece pela falta de escovação dos dentes do cachorro.

 

Independente de qual o alimento o animal come contanto que a dieta seja feita por um médico veterinário, o ideal é que a escovação seja feita diariamente.

 

Certas raças têm a predisposição para ter tártaro, assim como alguns fatores genéticos. A anatomia de algumas bocas e dos dentes também tem influência.

 

Como saber se meu cachorro está com tártaro?

 

Não é uma tarefa difícil, pois um dos primeiros sintomas é quando o cachorro tenta lamber nosso rosto e de imediato você sente o mau hálito.

 

Caso queira olhar a boca de seu pet, é possível ver a placa bacteriana em manchas amareladas ou esverdeadas, próxima à gengiva ou nos dentes.

 

Quais os perigos do tártaro?

 

Muitos tutores ainda acreditam que cuidar dos dentes é uma questão puramente estética. Isso está longe de ser verdade.

 

As bactérias causadoras do tártaro podem migrar para alguns órgão vitais como o coração e também podem causar alterações renais, hepáticas ou pulmonares.

 

Tratamento de tártaro em cães.

 

Além da escovação dos dentes, é importante que o cão seja levado periodicamente ao veterinário para que ele examine as condições dos dentes do seu amigo, realizando a limpeza se necessária.

 

Esse processo é mais demorado e trabalhoso. O cão precisará de anestesia geral, pois a remoção é um tratamento periodontal e no processo o veterinário irá precisar afastar as gengivas do cão para fazer a limpeza.

 

O que é Gengivite?

 

Ela é a inflamação das gengivas. Além disso, é o estágio inicial de uma doença das gengivas chamada doença periodontal.

 

É muito comum em cães, existindo tratamento. No entanto, caso isso não seja feito, pode levar a perda dos dentes do animal.

 

Causas da gengivite.

 

Existem diferentes motivos que levam o animal a contrair a doença, alguma delas são:

 

 

  • Doença Periodontal: Como vimos, é a causa mais habitual;
  • Secundária à uma doença sistêmica: Como diabetes, estado de imunossupressão ou má nutrição;
  • Agentes químicos ou físico: Os cães têm o costume de morder e lamber as coisas, logo entrando em contato com algum agente, pode ser tóxico para qualquer tecido do corpo;
  • Doença autoimune;
  • Doença viral: Exemplos como cinomose.
  • Doença hiperplásicas e neoplásicas.

 

 

Como saber se meu cachorro está com gengivite?

 

É importante ficar atento aos seguintes sinais clínicos da gengivite canina:

 

  • Inflamação;
  • Sangramento;
  • inchaço; 
  • Retração das gengivas;
  • Bolsas com pus entre os dentes;
  • Mau hálito;
  • Dor ao mastigar. Nota-se uma mordida diferente;
  • Falta de apetite.

 

Como tratar a gengivite?

 

Vai depender das causa expostas acima, mas relacionado a:

 

 

  • Doença periodontal: limpeza dentária será essencial. O veterinário pode indicar um tratamento antibiótico prévio por forma a diminuir a carga de germes;
  • Viral: o médico veterinário pode utilizar antibióticos para evitar uma super-infecção bacteriana;
  • Lesão: nesse caso apenas se tratará a infecção, pois ao retirar o corpo estranho a lesão irá cicatrizar. Será avaliado o uso de antibióticos para evitar a infecção secundária;

 

 

A perda ou extração dos dentes em casos extremo diminui a inflamação e resolve espontaneamente a gengivite. Ela pode afetar cães de praticamente qualquer idade.

 

O tratamento vai depender de cada caso, de acordo com o que o veterinário indicar. 

 

Conclusão.

 

O Hospital Popular de Medicina Veterinária reforça a higiene bucal do seu pet, assim como as consultas regulares com um veterinário especializado.

 

Para com essa preocupação com você e seu pet, contamos com uma estrutura de 05 hospitais em atendimento 24 horas, estes localizados:

 

  • Barra da Tijuca;
  • Realengo;
  • Campo Grande; 
  • Tijuca;
  • Del Castilho.