Por que é tão importante manter a vacinação do seu pet em dia?

IMPORTÂNCIA DA VACINAÇÃO EM CÃES E GATOS

A vacinação em cães e gatos, assim como nos humanos, possuem dois objetivos:  

Proteger o animal de estimação contra doenças infecciosas, e protegê-los contra os agentes circulantes dessas doenças.

A vacinação previne o contágio do animal com agentes das doenças e permite que o pet possa manter a sua saúde em equilíbrio por mais tempo.

O processo de vacinação em animais de estimação é muito importante, visto que algumas doenças podem acometer não somente aos pets, mas também aos seres humanos. Vacinar animais domésticos é um ato médico muito importante e uma responsabilidade de saúde pública.

 

VACINAÇÃO DE CÃES E GATOS

Ter um animalzinho de estimação, traz muita alegria para os donos, principalmente quando estão saudáveis e felizes, por isso é muito importante garantir que o cartão de vacinas do pet esteja atualizado, com todas as vacinas em dia.

Cães e gatos, devem tomar todas as vacinas indicadas para filhotes, nos primeiros meses de vida, ou de acordo com o que o veterinário indicar, em casos de resgate e ou adoção. 

O cuidado não se restringe à somente filhotes, ao longo do tempo a proteção fornecida pela vacina pode ir diminuindo, por isso o indicado é que as vacinas sejam aplicadas com reforços anualmente, para, dessa forma, garantir que os animais de estimação adultos possam tem uma imunização eficaz ao longo das suas vidas.

A vacinação correta em animais domésticos pode protegê-los contra doenças infecciosas que podem chegar aos pet por vírus, bactérias, entre outros microrganismos. 

Existem vacinas contra vírus, bactérias e outros parasitas que podem afetar não somente a vida dos animais de estimação, quanto também a de seus donos. Para evitar problemas dessa natureza, é indicado que as vacinas para os pets sejam aplicadas corretamente, seguindo o calendário de vacinação, e acompanhado por um médico veterinário de confiança.

Algumas vacinas são obrigatórias, sendo essenciais para a saúde do animal de estimação, e há também vacinas opcionais. Apenas o médico veterinário pode definir o protocolo da vacinação do seu animal de estimação, tendo como base o estilo de vida, viagens em que o pet acompanha os donos e sua localização geográfica, entre outros critérios.

 

BENEFÍCIOS DA VACINAÇÃO EM CÃES E GATOS

A vacinação correta proporciona uma vida mais longa e saudável para os pets, garantindo uma proteção contra doenças infecciosas, que podem chegar por vírus, bactérias, entre outros microrganismos, aumentando assim a expectativa de vida do pet. 

Além disso, é critério básico para que os pets possam visitar parques, ir à pet shops, hospedar em hoteizinhos e creches, e podem conviver com outros animais em segurança. 

A vacinação em cães e gatos é uma forma de proteger a saúde de todos que convivem com eles, principalmente dentro de casa.

Ao vacinar os pets, os tutores estão cumprindo a lei e dando exemplo de cidadania, não deixando que doenças como a raiva, por exemplo, voltem a ser uma ameaça.

FREQUÊNCIA PARA VACINAÇÃO DOS PETS

Existe uma grande variedade de vacinas para serem aplicadas em cães e gatos, no entanto, a frequência e o número podem depender da idade do animal de estimação. 

Normalmente, filhotes devem receber 3 doses de vacinas com intervalo de 21 a 30 dias entre elas. Assim como as crianças que nos primeiros meses de vida ou mesmo nos primeiros anos recebem várias doses de vacinas nos postos de saúde, os filhotes de cães e gatos também devem receber esse cuidado mais intenso nos seus primeiros 4 meses de vida.

De acordo com o lugar em que o pet vive, as vacinas poderão ser administradas ou não, porém, somente um médico veterinário de confiança poderá decidir.

Cães e gatos adultos devem receber um reforço anual, normalmente sendo de 3 a 4 vacinas.

VACINAS ESSENCIAIS E OPCIONAIS

Existem vacinas para os animais de estimação que são essenciais para o calendário de vacinação. Essas vacinas são conhecidas como vacinas múltiplas ou polivalentes, v8 e v10, e a vacina anti-rábica. As vacinas v8 e v10 protegem os cães de sete doenças consideradas graves: cinomose, hepatite infecciosa canina, parvovirose, leptospirose, adenovirose, coronavirose e parainfluenza canina.

Para os gatos, as vacinas essenciais são aquelas que protegem contra o parvovírus felino (FPV), o calicivírus felino (FCV) e o herpesvírus felino 1 (FHV1). Para gatos de origem desconhecida, adotados já adultos ou animais de rua, recomendamos antes do início da vacinação, seja realizado o exame de sorologia para as doenças FIV/Felv Felina (vírus da Aids Felina e Leucemia Felina) devido à alta prevalência e gravidade dessas doenças para os felinos. 

Em locais do mundo onde a infecção pelo vírus da raiva é endêmica, a vacinação contra este agente deve ser considerada essencial para ambas as espécies Algumas dessas doenças são consideradas zoonoses, ou seja, podem ser transmitidas para o homem. 

As vacinas opcionais são importantes apenas para um grupo de cães, sendo indicadas através da avaliação do médico veterinário, de acordo com o risco de exposição e também pelo estilo de vida do animal de estimação.

As principais vacinas opcionais são a Leishmaniose, em algumas regiões ela é considerada essencial, devido às condições e o índice de animais infectados; a vacina contra Giárdia e da Tosse dos canis. 

 

CALENDÁRIO ANUAL DE VACINAÇÃO

 

MODELO BÁSICO DE CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO
CÃES GATOS
POLIVALENTE (V8 OU V10) POLIVALENTE (V3 OU V4)
1ª dose: 7 a 8 semanas 1ª dose: 60 dias
2ª dose: 10 a 11 semanas 2ª: 90 dias
3ª dose: 13 a 14 semanas 3ª: 120 dias
Reforço: aos 12 meses Reforço: aos 12 meses
ANTIRRÁBICA ANTIRRÁBICA
Dose única: 120 a 150 dias Dose única: 120 dias
REFORÇO ANUAL REFORÇO ANUAL
V8 ou V10 + antirrábica V3 ou V4 + antirrábica

 

VACINAS V8 E V10

Existem 4 tipos de Leptospirose, sendo assim existe um antígeno específico para cada um dos tipos. Ambas as vacinas protegem o pet contra 7 doenças, entretanto a V8 protege contra a Leptospira Canicola e a Leptospira Icterohaemorrhagiae, já a  V10 protege contra os mesmos tipos da V8, mais os antígenos para Leptospira Grippotyphosa e Leptospira Pomona.

V8 (Vacina Contra Cinomose, Adenovírus Tipo 2, Coronavírus, Parainfluenza, Parvovirose, Leptospira icterohaemorrhagiae e Leptospira canicola).

V10 (Vacina contra Cinomose, Adenovírus Tipo 2, Parainfluenza, Parvovírus, Coronavírus e Leptospira canicola-grippotyphosa- icterohaemorrhagiae-pomona).Na primeira vacinação, devem ser administradas 3 doses com 3 semanas de intervalo entre cada uma delas, para que a proteção seja completa.

 

VACINAS V3 E V4

Nas primeiras semanas de vida, o filhote de felino só pode combater as infecções através de anticorpos fornecidos pela mãe, por isso é muito importante que o pet seja vacinado logo nos primeiros 45 – 60 dias de vida.

A vacina polivalente pode ser encontrada em duas versões: tríplice e quádrupla – respectivamente chamadas de V3 e V4. A diferença entre elas se dá em função da quantidade de antígenos contida em cada uma. Enquanto a V3 (Vacina Tríplice) previne os gatos contra Panleucopenia, Rinotraqueíte e Calicivirose; a V4 (Vacina Quádrupla), além de todos os antígenos contidos na V3, inclui, ainda, a proteção contra a Clamidiose.

As vacinas polivalente, tanto a V3, quanto a V4 devem ser administradas por um veterinário de confiança, que fará primeiramente uma avaliação geral do estado de saúde do filhote para saber sua real condição de saúde e definir um programa de vacinação.

 

ALGUMAS DOENÇAS QUE ACOMETEM CÃES E GATOS

Atualmente não existe uma legislação em nosso país que obrigue a vacinação correta nos animais de estimação. Mas é importante salientar que a vacinação em cães e gatos consegue inibir o risco de contágio de doenças. 

Algumas doenças que acometem cães e gatos são ainda desconhecidas pelos tutores. 

 

À seguir apresentaremos as doenças mais comuns:

 

CINOMOSE CANINA

Cinomose é uma doença infectocontagiosa causada por um vírus, que é altamente transmissível, podendo levar o pet a morte ou deixar sérias sequelas. 

O vírus é bastante agressivo, oportunista e atinge, principalmente, cães que tenham o sistema imunológico enfraquecido, como filhotes e cachorros idosos, ou cães que já estejam debilitados em função de alguma outra possível doença.

Os sintomas da cinomose geralmente se apresentam em três estágios e em cada um deles, um sintoma diferente se sobressai. No início, quando o sistema digestivo é acometido, o principal sintoma é a diarréia. 

Conforme a doença avança e atinge o sistema respiratório, é comum que secreções amareladas comecem a sair pelo nariz e pelos olhos do animal. Quando a cinomose chega ao sistema nervoso central do pet, é muito comum que ele tenha tremores e convulsões.

A vacinação contra a Cinomose deve ser aplicada em 3 ou 4 doses dependendo da idade do animal. Elas devem ser administradas com um intervalo de 21 dias e o animal de estimação pode receber a primeira dose a partir de 45 dias de vida. Geralmente, essa vacina provoca reações simples, como a dor no local da aplicação.

 

TOSSE DE CANIS

A Tosse dos canis é uma doença altamente contagiosa e causada por um complexo de bactérias (Bordetella bronchiseptica) e vírus, mas não é considerada grave, tendo um prazo de duração de 15 dias, onde o animal se recupera totalmente. 

A tosse dos canis é transmitida pelas gotículas eliminadas na tosse e no espirro dos cães contaminados. Por isso, a vacinação é muito indicada para pets que passeiam em lugares que frequentam outros cachorros, que ficam em creches, escolinhas e hospedagens ou que participam de exposições ou provas esportivas caninas.

 

GIARDÍASE

A Giardíase é uma doença causada pela Giárdia, um parasita que vive no intestino de vários animais, inclusive dos humanos, e causa diarreia, cólicas, dor de estômago e às vezes vômitos.

É muito comum acometer filhotes de cães e outros animais que vivem em grupos como canis, criadores, lojas, hotéis etc. Geralmente causa muita diarreia e cólicas e pode debilitar muitos filhotes.

A vacina contra a giárdia é utilizada para prevenção, diminuindo assim, os riscos e, consequentemente, a diminuição da contaminação do ambiente, o que significa diminuição da possibilidade de infectar novos animais ou reinfecção naqueles que já estiveram doentes. Caso mesmo vacinado o animal contraia a doença, ele irá apresentar sintomas mais amenos.

 

FELV E FIV FELINA

A FELV é a sigla usada para definir o vírus da leucemia felina, e a FIV para o vírus da imunodeficiência felina. Esses vírus afetam principalmente gatos domésticos, mas também outras espécies de felinos. Os vírus FELV e FIV, são membros da mesma família (Retroviridae), porém pertencem a gêneros distintos, e estão associados com diversas condições mórbidas nos felinos domésticos.

A infecção pelo FIV torna os pets mais suscetíveis a outras infecções e ao desenvolvimento de um maior desequilíbrio do sistema imunológico dos animais.

Normalmente a FIV é transmitida pelo contato direto de animais sadios com animais infectados, através do contato sexual, pela saliva do gato, ou por mordidas e unhadas dos animais infectados. 

Felinos infectados geralmente possuem uma sobrevida alta, podendo expor outros animais de seu convívio ao risco de infecção viral.

Na FELV os sintomas apresentados costumam ser bastante variados, pois dependem do sistema envolvido na infecção e da manifestação de doenças que desenvolvem a partir desta. Os sinais que normalmente são encontrados em animais positivos para este agente são: perda de peso, febre, desidratação, diarréia, conjuntivite e infecções orais.

A transmissão da FELV normalmente se dá por meio de secreções nasais e lacrimais, urina, fezes e também da saliva dos animais hospedeiros.

 

RAIVA OU HIDROFOBIA

Também conhecida como hidrofobia, pode acometer todos as espécies de mamíferos – inclusive humanos, afetando cérebro e medula espinal. 

A raiva é causada por um vírus, que se aloja nos nervos e vai para as glândulas salivares, onde se prolifera. Por isso sua característica mais popular é a espumação ou baba excessiva saindo pela boca. 

A doença é transmitida através do contato direto com a saliva e pela mordida do animal infectado, no Brasil, gatos e cães são os principais transmissores.

A raiva é uma doença considerada incurável, possuindo uma rápida evolução de quadros críticos e sendo fatal. 

A incubação do vírus varia de acordo com a espécie. Seus principais sintomas são irritabilidade, desorientação e agressividade. 

Progressivamente, a doença vai se agravando e não há tratamento para animais de estimação, apenas para humanos. Por isso, como a raiva afeta também os animais silvestres, a melhor forma de erradicá-la é protegendo seu pet com a vacinação.

 

LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA

A Leishmaniose Visceral Canina é uma doença transmitida aos cães e ao homem pela picada de inseto flebótomo, conhecido popularmente como mosquito-palha. A doença tem ampla distribuição geográfica, ocorrendo na Ásia, na Europa, no Oriente Médio, na África e nas Américas.

A transmissão depende de um vetor, inseto e de um hospedeiro que funciona como um reservatório da doença. Vários mamíferos tem esse papel: caninos, felinos, roedores, marsupiais, primatas e até o homem. 

Os animais domésticos, principalmente cães, são os hospedeiros urbanos mais importantes devido à alta prevalência da doença nestes animais nas áreas endêmicas.

É importante realizar um exame de diagnóstico rápido para Leishmania antes da vacinação.

 

PODE ATRASAR A VACINAÇÃO DO PET?

A resposta para essa pergunta é muito simples: NÃO! 

A vacinação precisa ser realizada dentro do período recomendado pelo veterinário e pelo calendário. Acontece que a imunização só se dá por completa quando respeitado os intervalos e períodos propostos.

Por isso é essencial manter a carteira de vacina do seu pet em dia, mantendo-a atualizada.

Mesmo assim, muitos tutores ainda perguntam: “A vacina está atrasada, e agora?”

Se a vacina estiver atrasada é imprescindível procurar o médico veterinário o mais rápido possível para que este lhe diga as orientações cabíveis.

Esteja sempre atento aos riscos que a vacinação atrasada pode causar ao seu animal de estimação, deixando-o vulnerável à diversas doenças.

 

VACINAÇÃO ÉTICA E LEGAL

A vacinação ética é quando somente o médico veterinário administra a vacinação, uma vez que nenhum outro profissional está autorizado a aplicar vacinas. Logo após realizar a consulta e avaliar detalhadamente o pet levando em consideração o estado de saúde, é que o profissional irá definir o programa de vacinação ideal. 

Este procedimento é importante para que a resposta esperada pela vacinação esteja de acordo com o ideal da mesma, não sendo assim administrada vacinações em pets que apresentam quadros de debilidade na saúde para que não ocorra a ineficiência da vacina.

 

Não coloque a saúde do seu pet em risco por negligência ou falta de informação, o  Hospital popular veterinário conta com equipe especializada e os equipamentos necessários em todas as nossas 5 unidades! Tudo 100% preparados para colocar a vacinação do seu pet atualizada e com a responsabilidade e cuidado que o seu amigo de 4 patas merece.

Barra da Tijuca 24 Horas

Av. Ayrton Sena, 4701- Shopping Station Mall – Loja 133/134 – Rio de Janeiro – RJ – Atendimento: 24 Horas com estacionamento gratuito.

Realengo 24 HORAS

Rua Professor Clemente Ferreira, nº 06 – Realengo – Rio de Janeiro – RJ

Campo Grande 24 HORAS

Avenida Cesário de Melo, 3826 – Campo Grande – Rio de Janeiro – RJ

Tijuca 24 Horas

Rua José Higino, 148 – Tijuca – Rio de Janeiro – RJ

Del Castilho

Estrada Adhemar Bebiano nº 257, Loja K – Del Castilho – Rio de Janeiro – RJ